novembro 20, 2015

Kafka à beira mar, aquele livro que dá um nó na cabeça


Vejam bem quem voltou! ;)

E com um novo layout, sim. Não estou à espera de grandes comentários tão cedo, pois eu própria, como tenho feito ultimamente, ainda não respondi aos da última postagem nem tenho dado sinais de vida nos vossos blogs. Algo a que, com sorte, me dedicarei nas férias de natal. Mas em contrapartida, a mudança de template pode servir como uma pequena compensação, e falarei um bocado dela já a seguir. Para hoje, também trago uma resenha de um livro que li recentemente, do autor bastante famoso Haruki Murakami, que li numa semana e 3 dias - pode nem parecer um mau tempo, mas com pouco menos de 600 páginas, há 4 anos teria lido em 3 dias. O que achei? Achei que, mais do que um livro feito para se gostar, é um livro feito para dar que pensar, ou como disse no título, dar um belo nó na cabeça. Kafka à beira mar é considerada uma das obras mais densas do autor. Mas já aí volto. PARA LER O RESTO DA POSTAGEM, NÃO CLIQUEM NO TÍTULO, CLIQUEM NO LER MAIS!!!!!!!!!!!!!!!!!! [editado 21/11/2015: vejam o meu perfil, no 4º gadget ;) ]

Sobre o layout
Então, como decidi já no ano passado, farei sempre layouts de natal/inverno alternados com layouts de halloween, por ano. Se ano passado foi a vez do de halloween, desta vez foi o de natal. E sinceramente, adorei o resultado. Queria algo bastante iluminado e suave à sua maneira, com muito dourado e vermelho, e creio que consegui. Também planeei o layout em papel e consegui manter-me fiel ao rascunho em termos de modelo. Simpatizei mesmo com as próprias imagens e efeitos :)

O quê que vale ressaltar no novo visual? Bem, os hovers por todo o lado, e os efeitos num geral. Por exemplo, vejam o que acontece em hover na data e no ler mais, no menu lateral, no gadget de seguidores (que balança),... apliquei apenas com html um efeito polígono na imagem do último gadget (aguardem tutorial no Chuva de html), diminui o espaçamento entre o último gadget e o rodapé do blog - o que me costumo esquecer de fazer - e as ilustrações de post situam-se acima do título da postagem. Pouca coisa além de bordas têm fundo sólido, e coloquei bastantes cantos arredondados. Voltei a colocar seta de topo (eu realmente simpatizo com ela :3) e entretive-me a fazer um novo modelo para comentários, embora não seja nada de especial. 

Comentem o que acharam dele ^^

Resenha
Somos apresentados a duas personagens e às suas jornadas. Kafka é um rapaz que foge de casa do pai (foi abandonado pela mãe, que também levou a irmã, quando criança) ao completar 15 anos, por detestar a vida que tinha e se sentir manipulado. Na tentativa de ter controlo sobre a própria vida, vai parar a uma biblioteca privada em Takamatsu onde peças sobre a maldição de Édipo que o pai lhe lançou - dizendo que ele mataria o próprio pai e dormiria com a mãe - e o inconsciente humano vão sendo reveladas. Em paralelo, acompanhamos Nakata, um velho que sofreu um acidente "sobrenatural" em criança que o fez perder as memórias e a habilidade de ler ou fazer raciocínios complexos, mas que aprendeu a falar com gatos, usando isso para procurar gatos desaparecidos como profissão. É durante uma dessas buscas que se começa a envolver com os mesmos assuntos com que Kafka lida. 

Bem, antes de mais, quero deixar uma coisa clara: Kafka e Nakata nunca se encontram, apesar de ambos serem protagonistas. As suas jornadas são sempre mantidas em paralelo e possuem eventos similares - como as mortes que eles cometem sem ter plena noção delas, as personagens encontradas, as bibliotecas visitadas, os elementos que os rodeiam... Além disso, a provável única coisa que fica esclarecida cai nas mãos de Nakata e possibilita o avançar de Kaka: refiro-me à Pedra da Entrada. Só enquanto ela está ativa é que Kafka pode permanecer na floresta junto à cabana de Oshima. Mas claro, tudo isto se prende demasiado com a trama e vocês não vão entender a não ser que tenham lido o livro.

Mais ilustrações da mesma autoria: www
Este é o segundo livro que li de Murakami, e pude reparar em diversos elementos comuns. O mais intrigante é a quantidade de perguntas não esclarecidas. Ao terminar o livro, tinha ainda mais questões na minha cabeça do que quando comecei. As últimas páginas TÊM aparência de final, mas até à última frase, e mesmo depois dela, continuei a tentar encaixar as coisas. Mesmo teorias mirabolantes têm espaço para crescer - já li na net algumas pessoas a sugerirem que Nakata e Kafka podiam até ser a mesma pessoa, no passado e no futuro. Afinal, embora eles encontrem as mesmas personagens, nunca estão presentes no mesmo espaço físico. Depois, o coração da floresta junto à cabana será realmente como Kafka a vê, ou isso é uma metáfora para a sua consciência? Sinto-me inclinada a achar que sim, e mesmo o próprio Kafka sente, ao avançar por entre as árvores, que começava a enfrentar-se a si próprio. Mas nesse caso, onde estão os limites entre o mundo físico e o psicológico? E agora talvez uma das questões mais polémicas: Será que Saeki-san era mesmo mãe de Kafka, e que Sakura era sua irmã? Acredito respetivamente que sim e que não - não vou listar o que considero evidências, é uma questão de ler para entender - e a polémica está precisamente aí, no cerne da profecia Edipiana. Kafka realmente tem relações sexuais com Saeki-san, a dona da biblioteca, que para começar tem uns bons 30-40 anos a mais que ele. Se for sua mãe... Hum, eu até que me considero bastante mente aberta e não fico propriamente chocada com isso, mas estou a ver muitos estudiosos a cismar no assunto. Eu pessoalmente prefiro não ligar demais à diferença de idade e conceder que, apesar de tudo, eles não cresceram juntos, então mesmo laços de sangue acabam por ser uma insignificância, sendo relevantes apenas para confirmar ou refutar a "maldição" que o pai lançou ao protagonista. Como Kafka era maduro para a sua idade, os dois entendiam-se bem e sentiam-se atraídos. Simplesmente não se preocuparam com o que a sociedade poderia pensar.

Mesmo só tendo lido outro livro do autor, já posso dizer que esta obra continha o seu quê de chocante por comparação: tanto pelo teor sexual como por algumas cenas de violência quase gratuita. Também fazia referência ou explicitava alguns elementos sobrenaturais mais grotescos. Acredito que seja mais chocante que mesmo muitas outras obras do autor, e que essa seja uma das razões que leva os críticos a apontarem este livro como denso. Pessoalmente, caraterizaria os capítulos centrais como sendo uma espécie de ficção urbana, enquanto que o começo e o final está mais voltado para a fantasia e para o sobrenatural, embora essa tal fantasia não passe de uma grande metáfora. Então, como elementos fantasiosos, temos a questão das sombras, do consciente e inconsciente humanos, o alter ego de Kafka (um corvo, precisamente o que o nome "Kafka" significa em checo), uma grande menção a florestas e muralhas, a mitologia - mais voltada para as lendas do que propriamente para as suas criaturas - grega, e bastantes elementos da cultura japonesa. Aliás, quem quer que seja fã de animes reconhecerá grandemente a influência. Já como parte do ar citadino do enredo, estão presentes questões - em termos éticos mas também em termos práticos - sobre a comunidade científica, política e guerra. Temos acesso a elas através de cartas, relacionam-se com o tal acidente que Nakata sofreu, e mesmo Kafka lê (ele adora livros) e reflete sobre isso. Temos também referências a ícones mundiais (pessoas famosas, embora aqui a je não esteja muito a par do assunto) e recomendações de arte, música e literatura. Parece que essa é outra coisa habitual em Murakami, essas recomendações. E ainda há... a questão da representatividade. 

Sim, estou a sorrir agora :) Mas primeiro, deixem-me falar-vos das personagens:
  • Kafka» um protagonista de 15 anos que foge de casa praticamente com a casa atrás ~a sério, deve ser difícil afastá-lo da mochila, consegue ser pior que eu! '-' ~ , adora ler e ouvir música. Não é particularmente falador, a não ser sobre assuntos profundos. Maduro para a sua idade, perspicaz, fisicamente forte e capaz de se desenrascar sozinho. Transmitiu-me uma certa indiferença - aliás, muitos leitores consideram-no um estóico, alguém que evita sentimentos extremos e perturbações de modo a atingir a felicidade - e é a personagem que mais cresce.
  • Sakura» Uma cabeleireira que conheceu Kafka durante uma viagem de autocarro e que o vê como um irmão, ajudando-o quando está em apuros. Não é a que a deteste, mas não sei se consigo dizer que gosto dela.
  • Saeki-san» Dona da biblioteca privada de Takamatsu e possivelmente mãe de Kafka. Tem uma história amorosa um quanto triste, que é relevante na trama. Apresenta sempre um sorriso gentil, é uma mulher culta e inteligente, com talento para a música e que se veste de forma elegante. 
  • Oshima» O ajudante de Saeki-san na biblioteca de Takamatsu, é uma personagem extremamente inteligente e com opiniões bem formadas. Não simpatiza com toda a gente, mas deu-se logo bem com Kafka, ajudando-o a esconder-se da polícia, dando-lhe trabalho, um local onde morar e a cabana que tanto importa para a história. Fisicamente, só me lembro que tem cabelo comprido, e tem 21 anos. É possivelmente o melhor amigo de Kafka.
  • Nakata» O tal velhote analfabeto e que fala com gatos, apresentado no resumo. Não posso revelar mais sobre ele sem dar spoilers, então acrescento apenas que ele é muito gentil, paciente, e que adquiriu ainda a habilidade de fazer chover peixes e sanguessugas.
  • Hoshino» Um camionista que ajudou Nakata a viajar, a princípio por achá-lo parecido com o falecido avô. Mesmo quando as diferenças são inegáveis, continuou a achar o velho intrigante e afeiçoou-se a ele, perdeu o emprego para ver onde a jornada ia dar e, apesar de adulto, teve muito a amadurecer, pois só na presença de Nakata se apercebeu de que levara uma vida fútil até então. 

Conseguem adivinhar qual é a tal personagem que tem um papel importante na questão da representatividade? Refiro-me, para quem é novo aqui no blog, à representatividade de diferentes identidades de género e de sexualidade, uma questão que vejo desprezada ou tratada erroneamente pela maioria das histórias. Sinceramente espero que não consigam adivinhar, pois mesmo ao ler o livro isso não era possível. A personagem é apresentada primeiro como PESSOA, com todo o seu carisma e de forma a conquistar os leitores por quem é, não pelo que é. Só depois é que o resto é revelado, e digna-se de passagem a cena inteira foi épica. O revelação está como spoiler, então selecionem o espaço branco para ler: [spoiler] A personagem é Oshima. Ele é, na verdade andrógino, pois mesmo tendo nascido mulher, identifica-se como homem. E gosta de homens, portanto considera-se também gay. O melhor de tudo foi mesmo a cena em que isso foi revelado: Duas mulheres, possivelmente daquelas feministas exageradas, faziam parte de um grupo que estudava o respeito pelos direitos das mulheres nas bibiotecas, e calharam de investigar a de Takamatsu. Dirigiram-se a Oshima com uma série de reclamações - eu concordo com a primeira, embora compreenda que naquele caso não era fácil solucionar - bastante piquínhas, e Oshima responde-lhes de uma forma perfeitamente lógica e fundamentada, aliás, revelando que era muito mais culto que as mulheres. Quando elas o acusam de, mesmo inconscientemente, estar a ser um macho típico, é que ele revela ser biologicamente mulher. Eu não conseguia parar de rir com a ironia da situação, além de que foi uma surpresa ENORME! [/spoiler] Depois do ataque de riso, só me apetecia contar aquilo à minha mãe e à minha irmã. Personagens que fazem parte da comunidade Queer já são raras, mas quando aparecem e não são normalizadas - não digo isto no sentido de "norma" e sim de "normalidade", a integração das personagens como indivíduos iguais aos outros na sociedade, sem as destacar como se fossem uns aliens - eu torço sempre o nariz. Quase me atrevo a dizer que, nesses casos, é preferível não as retratarem, pois ou acabam por lhes dar finais dramáticos ou fazem-nas cair em estereótipos que as pessoas disseminam. Bah, adiante, o que importa é que Murakami retratou Oshima com toda a maestria.

Como um todo... eu gostei do livro, mas não o considero dos meus favoritos. E vejo isso como um ponto positivo: para um livro estar entre os meus favoritos, tem de ter algo que mo torne "queridinho". Mesmo algumas coisas que as pessoas consideram impressionante na escrita de Murakami, eu já as vi - talvez não propriamente em obras ocidentais, contudo, em obras orientais são até relativamente comuns (dizendo-o como fã de animes, mangás e de autores japoneses). Não que eu me incomode com essa tal repetição, já que valorizo mais o desenvolvimento do que os acontecimentos em si. Mas acredito que o livro se destinava a intrigar e a ser interpretado exaustivamente, e nesse caso, o autor alcançou plenamente os seus objetivos. Achei uma citação de outra resenha que resume mais ou menos o que penso: "Kafka à Beira-Mar não será um livro de fácil leitura porque não é um livro simples. É um livro de escrita elegante e espraiada, com um sentido estético e poético elevadíssimo, mas cuja trama não se desenrola de forma clássica. De tal forma o é, que mesmo chegado ao fim do livro, o leitor interroga-se mais do que se esclarece. A escrita fluente e a exigente descrição psicológica das personagens prendem, num livro onde o non-sense e o fantástico poderiam desinteressar."

Termino com uma reclamação e um pequeno extra: A reclamação dirige-se apenas à 18ª edição portuguesa, que além de aparecer com algumas palavras repetidas duas vezes seguidas, nem sempre usa negrito para simbolizar as deixas do corvo (algo que é usado em muitas versões, só que aqui pareceu completamente aleatório) e comete erros de pontuação, principalmente nos parágrafos. Além disso, embora eu tenha noção de que, nos seus diálogos, as personagens usam muitas expressões informais, não era preciso citar às 3 ou 4 expressões populares por parágrafo, muito menos das antiquadas! Eu muito dificilmente me incomodo com detalhes desses, mas desta vez não consegui deixar passar. E como extras, aqui a canção "Kafka à beira mar" (www) que desempenha um papel importante na trama, e uma lista das minhas passagens favoritas: www [ainda não passei todas].

Não tenho grandes novidades, apesar de tudo. Poderia pensar em algumas coisas para dizer se quisesse, mas mais uma vez, não posso perder tempo...

Jaa!

7 comentários:

  1. YOOOOOOOOO ANY-CHAN \O/

    Como vai essa vida purpurinada corrida!?

    FÉEEEERRIIIAASSS <3 CADÊ VOCÊ MINHA LINDEZA!? Dia 12 de Dezembro eu finalmente terei minhas glamourosas e sensuais férias de verão <3 (é isso, se até lá fizer verão! Porque MANU ESTAMOS EM NOVEMBRO, QUASE DEZEMBRO! ERA PARA ESSA JOÇA ESTAR FAZENDO MARAVILHOSOS 30 GRAUS E NÃAAAOOOOOOOOOOOOO! ME DECIDE FAZER FRIO!)

    ~Pegando fôlego para surtar com o lay novo~

    MUULHHHEEERRRRR QUE LAY SENSUAL É ESSE!? QUE COISA MAIS BONETENHA E KAWAII-DESU É ESSA!? Gente, xonei nesse teu lay <3 Muito queridinho, adorei de paixão as cores que você usou e todos os detalhes! Obviamente já brinquei com todos os hover e mexi em tudo quanto é efeito e coisinhas purpurinadas! Amei o rodapé e esse título em baixo das imagens <3 Aliás, como diabos tu colocou o título do post aí!? '-'

    A área dos comentários também está linda <3 Adorei o fundinho, as bordinhas.....AMEI TUDO <3333333

    Enfim, sobre o livro........Olha, se ele não tivesse fucking 600 páginas e se a escrita não fosse tão rebuscada eu até tentava descolar esse livro para ler, PORQUE EU ADOREI ESSA RESENHA! Manu, logo nas primeiras linhas eu já estava no climão desse livro querendo ler altos spoiler para saber o que diabos acontece nessa história! Nossa, a trama parece ser fabulosa e essa história de dar altos bugs no cérebro foi o que mais me chamou a atenção <3

    Acho que o único problema é que eu morreria se eu lesse bem feliz esse livro e no final eu ficasse com mais perguntas do que respostas, porque eu sou um ser extremamente curioso, portanto quando não há revelações ou explicações eu acabo agonizando e altos sofrimentos!

    Outro ponto que me chamou bastante atenção foi sobre os dois protagonistas que nunca sequer se encontraram, mas ao mesmo tempo estavam interligados! Aliás, achei foda essa teoria de eles serem a mesma pessoa só que me tempos diferentes!................Na boa, ISSO TÁ MERECENDO UM FILME!

    E sobre o Oshima.......SÓ FICO IMAGINANDO A CENA DELE(A) SAMBANDO NO RECALQUE DESSAS CRIATURAS! Aliás, agora imaginei você do nada começando a ter um ataque de risos lendo o livro shaushuashua (tua mãe ou irmã não perguntaram porque diabos do teu ataque!? Porque aqui quando eu começo a rir do nada, o povo me olha com uma cara de "Vamos internar essa garota!").

    Enfim, adorei o lay novo <3 sobre o livro, quando eu li o título eu já pensava que o negócio seria foda, mas olha, nunca imaginei um enredo tão divo quanto esse!

    ~Acho que hoje finalmente não passei do limite de caracteres \O/~

    Kiss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haha, pobrezinha, essas saudades do calor devem ser muito difíceis de suportar ;) Eu pessoalmente estou animada porque estamos aqui a entrar no frio, e ao contrário de você, eu adoro frio, como sabe :3 Então este layout adequa-se bem para a altura e ajuda a entrar no clima, além de que parece que toda a gente o está a considerável fofo e adorável e tudo isso que você disse >.< Eu nem esperava que o resultado parecesse tão fofinho - eu só ia fazer um lay normal, sabe? - mas fiquei mesmo contente com o resultado. Oh, sobre o título abaixo da área de postagem, deu trabalho porque eu mexi com muitas áreas e só foi possível porque na primeira imagem do post eu coloco sempre por html um efeito a que eu chamo *veja bem a criatividade* "postagem". Então eu tive de mover as margens desse efeito para cima, mexer no espaçamento do próprio título do post, nos paddings da caixa de postagem e mesmo fazer umas mudancinhas no ler mais e no footer da área de post. O engraçado é que consegui acertar com tudo quase à primeira tentativa, foi sorte mesmo!

      Antes de mais, gómen por ainda não ter comentado no seu post dos shoujos - mas já li tudinho! - e não responder a alguns dos seus comentários mais recentes. Já respondi ao de dois posts atrás >.<

      Sobre esse livro, ainda bem que já conseguiu notar o clima :3 Tem algumas cenas meio tensas e uma pessoas não sabe realmente o que pensar, mas essa sensação é demais! *.* Poderia merecer um filme, mas como grande parte das ideias importantes se passa na mente das personagens, não sei se daria para captar bem a essência do livro. Mas agora que penso nisso, um mangá funcionaria! Oh, e todas as personagens são mesmo muito interessantes, apesar das idades tão distintas (mesmo a Sakura, de quem eu não sei o que pensar, é simpática, prestável e presente à sua maneira, também não tenho ada contra a rapariga). E ver os paralelos entre a jornada de Nakata e Kafka também é demais.

      Eliminar
    2. Sobre Oshima.............. EU ADORO-O! Mesmo antes da "grande revelação" já o considerava das minhas personagens literárias favoritas, mas depois disso, eu não sabia se havia de rir ou de chorar <3 <3 <3 Não me perguntaram nada porque eu estava a ler sozinha no quarto, então só "saí da toca" quando a empolgação passou. Só no dia seguinte, disse à minha mãe que estava ansiosa que ela lesse o livro porque havia uma coisa sobre uma personagem que eu queria que ela soubesse mas que eu não podia contar, para não ser spoiler. A minha irmã também estava lá. A minha mãe disse que também não queria que eu estragasse a surpresa, mas pouco depois perguntou: "É homem ou mulher?" O meu esforço para estar calada foi todo por água abaixo. Respondi mesmo (com quase um riso histérico, meio uivo): "É essa a questão!..." Depois desatei a contar tudo. Mas imagine só o meu desespero ao constatar, mais uma vez, o quanto a minha mãe tem poderes telepáticos >///////< Nunca poderei esconder nada dela nem fazer-lhe surpresas :)

      E é isso. Jaa!
      (parece que desta vez quem passou o limite de carateres fui eu)

      Eliminar
  2. Ohayo, Any-chan o/

    Cara, eu quase que saio te batendo por ficar fora tanto tempo ;u; menina, A BLOGOSFERA JÁ TÁ PARADA E DAÍ CÊ PEGA UMAS MACUMBA E SOME? SABIA QUE SAUDADE MATA? E MATA MESMO mentira, nem sei se mata *~* eu brizando, pra variar
    Cara, necessito de férias. Rezo pra Kamisama pra que cheguem logo, mas eu só vou fazer a fucking prova de Matemática dia 10 de Dezembro ;u; porque o professor é um amorzinho sabe? se morrer esfaqueado não fui eu ;u;
    Dois anos só passando o mouse no layoutMenina, que layout de Natal mais dewo! Não esperava menos de senhorita sambante de salto quinze Any-chan né? ainda brincando nos hovers igual uma doida Sabe quais são as três coisas que mais gosto de ver em blogs?

    1-Animes.
    2-Música.
    3. HOVERS, CARA!

    Tentei fazer um layout de Natal da Kagamine Rin, mas a tentativa foi frustrada Cry's T^T

    Sobre o livro:
    Cara, eu amei essa resenha. Só que não sei se me entende, mas aqui onde moro só vendem esses livros modinha dos BR lê-se: a culpa é das estrelas e cidades de papel, então a chance de eu encontrar esse livro é mínima T^T e bem, eu ainda estou sofrendo para ler as crônicas de Nárnia com essas fucking 750 páginas aqui, então acho que não vou me recuperar disso tão cedo.

    Mas cara, esse Oshima me chamou total atenção! SAMBA NA CARA DAS ENEMIGAS QUE É BOM, FAZ BEM PROS DENTES -qestou drogada, ignore

    Esse livro deve ser daqueles que deixam aquelas dúvidas que a gente olha pra cima e diz POR JEOVÁ, SEJAM SOLUCIONADAS, AMIGUINHAS!
    Cara, seria legal te ver tendo um ataque de risos ;u; coisa que só percebi ao ler o comentário da Hinata. Thanks, Hina-chan
    Cara, vou dizer de novo o quão divo está esse lay: ainda não descobri nem metade dele, porque não consegui brincar com toooodos os efeitos me aguarde e.e Mas no seu next post, eu já terei brincado até com o tooltip e o leia mais, a data, com tudo mesmo, ATÉ COM OS EFEITOS MENOSSIGNIFICANTES, ENTÃO ME AGUARDE VIU FIA?

    Cara, eu não tenho mais nada pra comentar, ME SALVE!
    Sayonara o/
    cute-universe.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. KAMISAMA DIGO EU, NÃO PRECISO DE UMA YANDERE ATRÁS DE MIM!!! Bater-me, morrer de saudades, matar o seu professor... Mas que empolgação, menine! ;)

      Mas é bom saber que deu pela minha falta. Creio que isto irá acontecer mais vezes, e mesmo assim, a ausência foi menor que a de muita gente. Eu mesma terei um teste de matemática esta semana e, embora não espere tirar outra vez 100%, pelo menos um 95% calhava bem, então com todo o estudo, não me sobra muito tempo para postar e comentar. Foi uma sorte ter tratado do layout a tempo.

      Sobre o layout, ainda bem que gostou :3 É engraçado, acho que nunca recebi comentários negativos sobre os meus layouts, e os positivos que recebo são bastante fervorosos :) Bem que eu dedico muitas horas para fazer o que quer que seja, mas o resultado poderia não ser satisfatório. Tome o seu tempo para fazer os hovers todos >.< Aliás, eu também adoro brincar com efeitos.

      Pessoalmente, não sou a maior fã de Nárnia - até gosto das histórias, mas sinto as personagens como superficiais, o que podia ter sido desenvolvido não o foi e a escrita parece-me acriançada. Bem, os livros são mesmo para crianças, mas mesmo a minha irmã, que o era quando leu, notou o mesmo que eu. Adiante, o tamanho do livro não é uma coisa tão desesperante assim, se você estabelecer um número de páginas que tem obrigatoriamente de ler todos os dias. Eu obriguei-me a ler 50 páginas por dia, sem falhar. Às vezes custa, mas depois de estarem lidas, parece que nem foi nada. E sei como é esse problema com os livros modinha. Aliás, acredite, aqui o problema é de longe pior - as editoras portuguesas nem muitos livros modinha trazem. Mas seja como for, sei que há muitos livros de Haruki Murakami por aí, ele é um escritor mesmo muito famoso, os seus lvros são para um público adulto, então só tem de saber procurar bem. Não sei se aí no Brasil têm Kafka, mas mesmo outras obras do autor têm um clima semelhante, então só pegue no que achar mais interessante e dê uma chance :) Quanto a Oshima, leia o que eu respondi na segunda parte do comentário da Hinata >.<

      Jaa!

      Eliminar
  3. EU POSSO LER! SANTOS DEUS, EU CONSIGO LER.
    Você fazia aqueles lay todo cheio de letrinha minuscula, pastel e ainda quando eu colocava o mouse em cima ficava quase branco. Eu tinha que dar zoom pra conseguir ler antes, ai toda vez configurar meu navegador ;-;
    Moça, continue com a letra grande pelo amor de deus, meus olhinhos agradecem.
    Eu nunca li nada do Murakami, mas vejo o pessoal falando muito bem dele. Espero que no dia que eu ler, eu goste :3

    warpday.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haha, ainda bem! Mas sabe, já podia ter avisado antes, nunca ninguém se queixou de a letra dos meus lays ser ilegível, e no meu pc sempre deu para ler direitinho sem fazer zoom. Vou continuar com a letra grande sim, não me custa nada e assim evito problemas com certos pcs ;)

      Murakami vale a pena, se chegar a ler algo dele, avise-me ^^

      Eliminar

♡ Saiba mais sobre o mim ou sobre o blog através do menu

♡ Quanto a comentários:
» Os pedidos são aceites nos comentários ou na ask (vejam o menu)
» Críticas construtivas são bem vindas. Barracos, não.
» “Seguindo, segue de volta?”, só serão aceites em blogs principiantes – e eu irei confirmar ao blog. Caso contrário será ignorado.
» Deixe o link do seu blog no fim do comentário e eu faço questão de pelo menos visitar e comentar.
» Pode usar estas carinhas:
=((•̪●))= ๑(•ิ.•ั)๑ ٩(●̮̮̃•̃)۶ ε(●̮̮̃•̃)з ٩(×̯×)۶̿ ┌∩┐(◣_◢)┌∩┐ ⊙▂⊙ ⊙0⊙ ⊙︿⊙ ⊙ω⊙ ⊙▽⊙ ⊙﹏⊙ ⊙△⊙ ◑▽◐ ◑ω◐ ◑﹏◐ ●︿● ●ω● ●﹏● ≧▂≦ ≧︿≦ ≧ω≦ ≧﹏≦ ≧▽≦ >︿< >ω< >﹏< >▽< ≡(▔﹏▔)≡ (¯▽¯;) <(“”"O”"”)> (-__-)b (;°○° ) \( ̄︶ ̄)> <( ̄︶ ̄)/ (/≧▽≦/) \(≧3≦)/ \(≧ω≦)/ o(≧ω≦)o o(≧o≦)o ㄟ(≧◇≦)ㄏ ╮(╯▽╰)╭ ╮( ̄▽ ̄)╭ (~o ̄▽ ̄)~o ~ 。。。(~ ̄▽ ̄)~[] (╯-╰)/ (*^3^) 'U_U ♪ ♥ ஐ ▲☼゚ ♣ (๏̯͡๏) †