setembro 05, 2015

O que é a inteligência?


De acordo com a tia wiki: "Inteligência tem sido definida popularmente e ao longo da história de muitas formas diferentes, tal como em termos da capacidade de alguém/algo para lógica, abstração, memorização,compreensão, autoconhecimento, comunicação, aprendizado, controle emocional, planejamento e resolução de problemas. Dentro da psicologia, vários enfoques distintos já foram adotados para definir inteligência humana. A psicometria é metodologia mais usada e mais conhecida do público geral, além de ser a mais pesquisada e amplamente usado. Conforme a definição que se tome, a inteligência pode ser considerada um dos aspectos da linguagem ou um traço de personalidade."

Comecei a escrever este post para mim mesma, do nada, e achei uma boa forma de recomeçar a postar aqui no blog. É um post reflexivo em que tenciono transmitir o que penso ser a inteligência, não apenas tudo o que foi dito no parágrafo anterior mas mais que isso. Para os curiosos, abordo também ligeiramente o porquê que ter ido para ciências e não para artes. Boa sorte para ler tudo ;)

Para mim, uma pessoa inteligente é aquela que se sabe adaptar a todas as situações. Que é capaz de mudar ligeiramente o seu próprio comportamento conforme as situações pedirem, mas sem deixar de ser ela própria. Que aceita as diferenças e arranja maneira de pólos opostos coexistirem. Que, após perceber onde residem as falhas do mundo, se embrenha ainda mais nelas para tentar consertá-las, em vez de se isolar. Que sabe esperar pela oportunidade de estender a sua mão e ajudar, em vez de simplesmente ir de cabeça e fazer um esforço inútil. Que prefere solucionar as coisas a problematizá-las.

Para mim, a inteligência é um tipo de coragem. Um tipo de coragem bem intencionado e ponderado. 

Inteligência não se mede por notas num papel, decididamente, e isso já está provado - muitos "génios" conhecidos não eram sequer bons alunos na escola, e sem dúvida o seu QI é alto. Mas na verdade, eu nem os vejo como pessoas particularmente inteligentes. Quase toda a gente consegue ter sucesso em algo se se dedicar a isso o tempo todo, se tiver interesse e tempo e condições e alguém que arranje a vida por eles, tratando da casa e das refeições, essas coisas de que nenhum ser humano pode fugir. Claro, é preciso ter uma grande capacidade lógica para desenvolver investigações complicadas, mas sem outras complicações na vida, acho que é uma obrigação de quem se decide dedicar a isso fazer pelo menos algum progresso. Uma pessoa inteligente, para mim, seria aquela que teve de batalhar para ter todas essas condições satisfeitas, ou que consegue desenvolver a investigação enquanto tem outros trabalhos ou alguém de quem cuidar em simultâneo.

Inteligência é uma forma de lidar com o presente ou futuro. É uma forma de contornar os problemas e atingir os objetivos com o mínimo de consequências negativas, não só para nós mesmos, mas para os outros. Não é assim tão complicado dar a volta à situação salvando a própria pele ou com consequências que nos afetarão por pouco - mas impedir essas consequências de se repercutirem pelo mundo, isso sim, exige imenso esforço mental.

Há pessoas que se fartam dos problemas, stresse e defeitos da cidade, e portanto decidem fugir da rotina dela indo para o campo, para as montanhas, para a floresta, para uma aldeia comunitária... e isolam-se. São felizes, obtêm a paz que querem e, mesmo sendo um estilo de vida trabalhoso, está de acordo com os seus próprios valores. Mas esse para mim é um ato covarde, preguiçoso e completamente mesquinho, uma forma de virar costas ao mundo e ignorar os defeitos dele. Pessoas inteligentes seriam capazes de continuar no domínio da sociedade e lutar diariamente para evitar que ela fosse tragada... bem, pela sua própria merda. E eu acho que a sociedade tem coisas imensamente positivas, mas também detém uma boa dose de crueldade e injustiça que devia ser combatida pelo número máximo de pessoas possível. Claro, tentar mudar a sociedade não é tão fácil de fazer como de dizer, mas eu acredito no poder das pequenas coisas. Demolir o que está errado através de pequenos passos pode parecer fútil, mas talvez a atitude atinja mais pessoas, e se todas elas derem pequenos passos, no total será um avanço razoável. Inteligência é saber mudar as coisas a partir do interior, não apenas o seu exterior. É saber infiltrar, observar, esperar e não desperdiçar energias em coisas que não valerão a pena - saber reconhecer as derrotas e as causas perdidas são atitudes inteligentes também. Assim dará para evitar desperdiçar esforços com elas, e conservar a energia para coisas que realmente valem a pena. É saber tomar decisões e pesar as alternativas. É saber o momento certo de dizer sim e não. Não, não é encontrar desculpas, isso é mais uma vez um ato covarde, mas é importante reconhecer que não poderemos ajudar os outros a subir se em meio a todo o nosso altruísmo acabarmos também no fundo do poço. 

Inteligência é ser capaz de achar sempre o meio-termo, mesmo para nós próprios. Não podemos cair, pois isso desmotivaria as pessoas à nossa volta e tornar-nos-ia inúteis, mais alguém a ser ajudado, mais alguém que tem de se submeter aos mandamentos dos outros, mais alguém cheio de boas intenções ou ideias e plena noção do que está mal, do que mudaríamos se tivéssemos os meios e condições para o fazer, mas não temos. Contudo, também não se deve chegar alto demais ou sobressair. Isso atrai olhares e inimigos. Toda a gente parece louvar rebeldes e pessoas corajosas, que não receiam dar o peito às balas pela causa em que acreditam, mas para mim, isso é insensatez, estupidez. Não estou a dizer que não seja nobre. Não estou a dizer que não seja realmente admirável ser tão dedicado a algo que a morte deixa de ter importância perante o objetivo final. Mas o quê que vai mudar no mundo? Sim, arriscar a vida por uma causa pode ser importante, mas só satisfazendo primeiro 3 condições: ter efetivamente provocado mudanças, pequenas ou grande, no mundo antes dessa atitude; ter conquistado, inspirado, ou chamado a atenção de uma grande audiência primeiro; e ter a certeza de que o risco trará efeitos positivos, será útil. Quantas pessoas não perdem tudo pelas coisas em que acreditam! Mas na maior parte das vezes, a perda é irrelevante, toda a gente além dos próprios perdedores se esquece dela no próprio momento e, se não for esquecida, passa a ser mal vista - passa a ser vista como o ato de estupidez que realmente foi. Ser inteligente é saber reconhecer os nossos próprios limites e procurar aliados que nos ajudem a ultrapassá-los, não inimigos. Cair do céu para o fundo do poço não fará as asas voltarem a nascer, então pelo menos que valha a pena.

Ser inteligente é saber baixar a cabeça e dizer que sim quando queremos dizer que não. É, de vontade própria, fazer pequenos sacrifícios por um propósito. É ser capaz de batalhar e agir em aberto contra aquilo em que acreditamos, durante anos, para um dia todo o esforço ser recompensado. Não importa o que as outras pessoas pensam. Não importa que as outras pessoas julguem a nossa atitude contraditória - Se estás a lutar pelo bem disso, e se estás sempre a falar do assunto, porquê que ainda não agiste? Essa pergunta é comum, e feita entre quem seria a primeira pessoa a cair. Nem toda a gente pode ser a cara da revolução ou ter o papel principal! O trabalho de bastidores também é importante. Não apenas mudando a sociedade: Os génios mais reconhecidos, como já disse, precisaram de alguém a cuidar da sua casa, das suas refeições. Um filme não é feito apenas de actores, é preciso quem trate dos cenários, dos efeitos, do roteiro, da filmagem... Na verdade, considero o trabalho dos bastidores DA VIDA a grande base para tudo, pois além de ser um trabalho discreto e que nem toda a gente reconhece, é um trabalho que exige tempo e por vezes anos de dedicação. Na verdade, eu comparo isso com duas situações atuais aqui em Portugal. Quando são portugueses (generalizando, claro) a tomar conta de uma aldeia, ela adquire um ar extremamente rural, pobre e que parece do século passado. Quando são os estrangeiros a comprar uma aldeia, ela adquire um ar muito mais atual, de acordo com a natureza e rural, porém também mais mente aberta, conectada com a cidade e capaz de partilhar algo com ela. Poderia fazer um post apenas sobre isso. Os estrangeiros que fazem isso nunca disseram aos filhos para se dedicar inteiramente aos seus talentos, pelo contrário, incentivam-nos a estudar, pois a educação é uma alavanca, ou pelo menos uma ferramenta, assustadora para deixar as pessoas mais inteligentes. Isso significa que os filhos passaram ANOS a estudar, com um mínimo de afinco, antes de começarem a trabalhar nos seus projetos e projetos dos pais. E isso não significa que não possam ter desenvolvido os seus gostos em paralelo. Na verdade, uma coisa não invalida a outra, acredito mesmo que uma pessoa pode sim liderar a mudança e ajudar nos bastidores ao mesmo tempo. Isso seria duplamente inteligente, embora não para qualquer um. E acho que uma pessoa até devia ter vergonha de ter sucesso e dinheiro através de facilitismos, apenas seguindo "o seu sonho" ou o seu talento, quando há tanta gente por aí a dar duro por uma ninharia e muitas vezes é suportado pelo esforço dessas pessoas.

Muita gente pergunta-me porquê que não fui para artes, se desenho tão bem. Eu, artes, aqui em Portugal? NUNCA. Primeiro, porque já sei desenhar satisfatoriamente bem, e tenho bem estabelecido na minha cabeça o que quero aprender sobre arte daqui em diante, por sorte ou azar, técnicas que não são ensinadas na escola, na sua maioria. Ao ir para ciências, não desisti das artes - apenas tenho em mente o número de mestres pelos quais gostaria de ser ensinada, e se não puder ser ensinada por eles, tudo bem, o que sei até agora aprendi por iniciativa própria e através de tutoriais na internet, é só voltar a conseguir tempo para fazê-lo. De qualquer modo, a escola foi feita para aprender, não para exibir o que já sabemos. Línguas, história, artes... são coisas tão fáceis de aprender apenas estando em casa! Ciências beiram muito mais a prática, são das três áreas a que eu na realidade considero mas difícil, e é por isso que gosto de estar lá e me sinto bem ao tirar boas notas, pois isso significa que estou a conseguir lidar bem com as minhas dificuldades. Se eu fosse para artes, estaria a perder o meu tempo com técnicas que não me interessam, e rodeada de pessoas que optaram pelo caminho mais fácil (o caminho do seu talento, que às vezes nem é assim tão grande), e que dificilmente lhes trará sucesso ou reconhecimento, principalmente em Portugal. Boa, estudaram artes, formaram-se, parabéns! Mas valeu de quê? Se não tiverem pais ricos, ou passarão a viver às custas de alguém, ou terão de arranjar algum trabalho em nada relacionado com artes para se sustentar. Valeu de quê? Perderam tempo a estudar algo que gostavam, para depois em adultos fazerem algo de que não gostavam. Valeu de quê? Se calhar, se tivessem aprendido a fazer algo que lhes desse dinheiro, juntariam o suficiente para se sustentarem, ajudarem outras pessoas e ainda se darem ao luxo de tirar algumas folgas, desenhando nessa altura. Não o fizeram. Valeu de quê? 

Já me disseram, felizmente na cara, que sou burra por não ter ido para artes. Eu tendo a rir-me quando sou insultada, e normalmente é mesmo porque acho piada ao que as pessoas dizem de mim (pelo menos se for a brincar, e eu sei, parece idiota), mas nesse momento evitei rir porque se o fizesse, seria impossível esconder a ironia do comentário. Eu orgulho-me do que sou, orgulho-me por lutar nos bastidores, orgulho-me das pequenas coisas que faço, e nesse aspeto sim, sinto-me inteligente. Já disse que inteligência também passa pela consciência? A pessoa que me disse isso parecia ser incapaz de ver mais de um palmo à sua frente, parecia ser incapaz de ver a situação em que se encontraria no futuro, que eu tentei deixar clara no parágrafo anterior. Se eu sou a burra, ela é o quê, inteligente? As pessoas pensam que, quando eu digo que é preciso fazer sacrifícios por um objetivo, estou a dizer que detesto estudar ou que só quero ir para medicina por causa do dinheiro, algo assim. Isso é ridículo, e na verdade, eu gosto de estudar e de medicina, apenas gosto de coisas além dessas, e é realmente um pequeno sacrifício passar tantas horas a "marrar" quando me apeteceria dedicar algumas a escrever, ler, desenhar, blogar, andar de bicicleta, aprender a cozinhar, aprender línguas (é hilário, mas mesmo que eu não estivesse a estudar sobre as disciplinas que tenho, provavelmente optaria por aprender alguma outra coisa >.<). E no final, valerá a pena. Oh, eu sei que entrar em medicina e pretender ter uma eco-aldeia são projetos algo ambiciosos, mas tenho outros mais humildes. Mas todos são úteis, todos eles visam fazer algo por alguém. Eu odeio a frase "segue os teus sonhos". Acho que, considerando a sociedade atual, essa é a pior coisa que se pode a dizer a alguém. Não por achar errado uma pessoa fazer o que gosta, mas porque as pessoas gostam das coisas erradas. Nada contra hobbies, eu mesma tenho os meus milhentos. O que estou a dizer é que a maioria das pessoas tem sonhos egoístas - investir na própria carreira, reconhecimento por isto ou aquilo. Eu teria vergonha, nunca me sentiria bem com a minha consciência se tivesse um sonho assim. Eu adoraria investir mais nos meus hobbies e não tenciono abdicar disso, mas recuso-me a ter um objetivo tão egocêntrico como um sonho. É um SONHO! A palavra em si pressupõe algo ambicioso, não? E há algo mais ambicioso do que tentar mudar o mundo, do que fazer algo por ele?

Voltando ao assunto do meio-termo: Ser inteligente é ter a capacidade de nos darmos bem com ideologias diferentes das nossas, pessoas que têm pouco em comum connosco, aprender não só a conviver e respeitar como também a apreciar as diferenças, talvez até dar uma chance às outras pessoas de nos convencerem de alguma coisa - decididamente, há valores que podem não combinar connosco, mas também não somos donos da verdade. Nem o centro do mundo. Ser inteligente pode nem ter nada a ver connosco, denota grande inteligência fazer grupos que defendem coisas completamente opostas coexistirem, talvez mesmo colaborar para atingir um objetivo comum. Os grupos recusam-se a trabalhar juntos por pensarem de forma tão diferente? Magnífico, problema detetado. Agora falta arranjar uma solução, de preferência, uma minimamente prática, de teorias está o mundo cheio. Pode ser desafiador aceitar as condições de ambos os lados, pode ser desafiador fazê-los ceder alguns pontos. Ou até pode ser mais fácil do que parece. Às vezes, a resposta está mesmo diante de nós, e nem reparamos. 

De teorias está o mundo cheio, mas é duplamente inteligente se uma pessoa conseguir aliar a teoria à prática. Ser inteligente é superar os limites, apesar de, como disse antes, saber impô-los quando necessário e dizer não. Uma pessoa pode querer combater a fome em África, apoiar o casamento gay (um post sobre o assunto aqui: www), e defender os direitos dos animais ao mesmo tempo. Pode dedicar-se aos estudos e investir nos seus hobbies. Pode sonhar com ajudar a sociedade mas também sonhar em dedicar-se a si mesmo, desde que saiba a qual dos sonhos dar prioridade. Pode ser a cara da mudança e ajudar nos bastidores. 

Ser inteligente não é uma caraterística adquirida, pois depende do momento.

Não é um traço de personalidade ou está preso ao tamanho do nosso cérebro.

Ser inteligente...
     depende do poder de escolha de cada um de nós.

Área off-topic
Então, o post foi muito denso? ^^

Sim, voltei com uma das minhas filosofias, escrevi o post esta mesma manhã em meio a alguma inspiração. Estive esta semana toda a dedicar-me a No.6 (www), e agora só falta mais uma até as aulas começarem aqui em Portugal. E cá estou eu, sem ter assistido metade dos animes que planeara ver, sem acabar a minha fanfic principal e sem ter feito tantos posts quanto queria. Ainda nem respondi aos vossos comentários, aliás, e eu sei que é deplorável.

Mas já agora, a resenha de Code Geass está quase pronta e em breve solto novidades sobre o otome game de No.6 que estou a planear. Além disso, estou a atualizar o meu portfólio de desenhos, caso queiram dar uma olhada:

» Portfólio « 

11 comentários:

  1. YOOOOOOOOO ANY-CHAN *^*

    Wooowww, isso é o que eu chamo de voltar sambando no glamour! Logo de cara um post mega filosófico! U.U

    Enfim, para ser sincera eu nunca pensei muito nessa questão do "o que é inteligência", mas acredito que ela varia de acordo com o momento. Acredito que em certos momentos o inteligente é se manter calmo e abaixar a cabeça, em outros ser enérgico seria o mais inteligente. Acho que o principal é primeiramente parar para pensar, ver os ganhos e perdas e ver se não trará alguma consequência para nós e para aqueles próximos a nós. Obviamente não poderemos evitar tudo, mas é como você mesma disse, sobre tentar pelo menos amenizar os impactos.

    Eu realmente admiro essas pessoas que não tem medo e vão com tudo para cima, que colocam os outros e seus sonhos acima delas mesmas. Porém, tenho que concordar com você que dar a vida por um sonho ou uma causa nem sempre vale a pena. Até porque se a pessoa morrer tudo estará acabado! Mesmo que ela tenha chegado no seu objetivo final quem irá garantir que os outros preservarão esses resultados!? Sem mencionar que as coisas estão em constante mudança, ou seja, esse tal objetivo que no começo era maravilhoso pode futuramente se tornar inconveniente, sendo assim, se essa pessoa deu a sua vida para concretizar seu sonho, não poderá fazer os devidos ajustes no futuro. Ou seja, no final das contas tudo acabará ruindo!

    Sobe seguir seus sonhos.....Acho que tudo é válido! Pois, todos nós temos potencial para fazermos tudo, é como você mesma disse: Só basta praticarmos isso! Nos dedicarmos, superarmos as nossas dificuldades. É claro que há pessoas que já nascem mais desenvolvidas em algumas áreas, mas isso não significa nada. Pois, se essa pessoa não se esforçar na área em que é "naturalmente boa" acabará por "atrofiar" as suas habilidades. Eu mesma sou um exemplo perfeito dessa treta toda: Naturalmente eu sempre desenhei "acima da média", para mim era muito fácil desenhar e modéstia parte eu desenha bem! ^^ E sempre adorei isso! Quando eu era menor, vivia desenhando, passava horas e mais horas desenhando e com o tempo fui melhorando e muito! Porém, com o decorrer do tempo fui perdendo essa paciência, acabei gradualmente largando de mão essa história de desenhar. Sendo assim, acabei perdendo a prática/habilidade, tanto que hoje eu meio que apanho para desenhar. Antigamente em questão de minutinhos eu tinha o que eu queria desenhado, hoje eu já tenho que refazer essa desgraça umas quinhentas vezes ¬¬'''''' Então, essa história de querer ir para tal área porque tem facilidade é apenas um pequeno detalhe! Basta a pessoa se dedicar que ela consegue ir para onde ela quiser! Aliás, eu tinha uma colega na matéria de Português da faculdade (obs: Português e matemática são matérias básicas para todos os cursos da minha universidade, independente do curso, é obrigatória fazer). Essa minha colega fazia o curso de matemática, porém ela apanha imensamente em português! Entretanto, ela se esforçou imensamente! Sempre no recreio ou depois da aula ela ia tirar dúvidas com a professora! O resultado: Ela conseguiu se sair super bem na matéria e arrasou nos trabalhos de conclusão do curso dela!

    Enfim, sobre você preferir medicina do que artes..........MANDA ESSE POVO TUDO A MERDA U.U ~revolta off~ Aliás, minha amiga estava numa situação parecida com a sua! Ela resolveu escolher arquitetura, pois envolvia o básico de matemática e artes que ela adorava! Mas, com o decorrer do semestre, ela viu que tudo aquilo era muita "abobrinha" para ela! Que no final das contas ela não queria ficar fazendo cálculos básicos e "enfeitando casas". Ela com o tempo viu que queria colocar o cérebro dela para pensar mesmo! Que seria um desperdício ela ficar naquela facilidade toda! Portanto, ela agora está mudando para o curso de Engenharia Civil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas, eu também não vejo problemas das pessoas com facilidade para determinada área seguir com a mesma. Tipo, meu pai possui imensa facilidade para matemática, então ele resolveu seguir com engenharia, mas a questão é que ele AMA engenharia! Ele adora ficar vendo aqueles programas sobre engenharia moderna, antiga, sobre a história da engenharia e coisas do tipo! Já eu tenho facilidade com biologia, consigo gravar nomes e conteúdo com um tantinho de facilidade, mas resolvi ir para o lado da biologia não apenas porque tenho facilidade com a matéria. Meu verdadeiro motivo por ter escolhido esse ramo é porque é algo que eu AMO ler, que eu AMO estudar, é algo que realmente me interessa!

      Resumindo essas histórias todas: Tanto por habilidade, quanto por "desafiar o seu cérebro", por mim tudo bem! Contanto que seja algo que a pessoa realmente se dedique de coração <3

      "Não por achar errado uma pessoa fazer o que gosta, mas porque as pessoas gostam das coisas erradas" <=============THIIIIISSSS SUPREMO, tipo: Eu curtia desenhar, mas nem por isso fui para uma área envolvendo artes. Aliás, um tempo atrás minha tia vivia me perguntando porque eu não largava de mão a parada de medicina para virar arquiteta, já que envolvia desenhos. Mas, a questão é que eu curto desenhar como hobbie, não tenho o interesse de aprender tudo sobre arte ou coisas do tipo! É algo que gosto, mas não ao ponto de querer trabalhar a minha vida inteira com isso.

      "Ser inteligente é ter a capacidade de nos darmos bem com ideologias diferentes das nossas, pessoas que têm pouco em comum connosco, aprender não só a conviver e respeitar como também a apreciar as diferenças" Sendo assim, eu estou sendo OBRIGADA e me tornar inteligente, porque eu e a Nanda-chan somos dois pólos COMPLETAMENTE OPOSTOS! MULHER CÊ NÃO TEM NOÇÃO DO QUÃO CONTRÁRIA NÓS SOMOS! Enfim, eu mando um THIS SUPREMO para essa tua frase! Até porque, ficar brigando e gastando saliva por causa de coisas diferentes das nossas é um completo desperdício de energia! Tudo bem entrar num debate bacana, ver o outro lado e expôr o que pensa sobre tal assunto, aliás, dei altas risadas com as minhas colegas debatendo sobre Deus e ciência! Uma delas era evangélica e a outra pseudo-ateia (começou tudo bonitinho, mas em cinco minutos já estavam as duas na maior zuera e piada!). Enfim, não precisa aceitar de braços abertos, mas qual o problema em dar uma chance ou em pelo menos não responder de forma agressiva!?

      Enfim, tô contigo no paragrafo final! Ser inteligente é saber mesclar seus sonhos pessoais, com os sonhos de poder ajudar o próximo. Aliás, também não precisa acabar com a guerra no mundo, não precisa virar o presidente para isso. Mas, pequenas ações também podem ajudar imensamente! Desde ajudar algum animalzinho machucado, alguma pessoa deficiente atravessar a rua, dar uma forcinha para algum vizinho ou familiar. Se cada um fizesse essas pequenas coisinhas, não seria necessário alguém ter o sonho de acabar com algum problema mundial, pois aos poucos todo mundo juntinho com pequenas ações dariam conta do recado ^^

      Enfim, amei o post!
      (tive que fazer uns cortes bruscos no meu comentário porque o troço iria sair quadruplicado!)

      Ai cara, eu queria ter me dedicado as viadagens de No.6 nesse fim de semana, MAS A RETARDADA AQUI RESOLVEU FICAR DOENTE!

      EU NECESSITO VER DETALHADAMENTE ESSA PARADA DO OTOME GAME <333333333

      E COMO ASSIM TUAS FÉRIAS TÃO TERMINANDO!? Gente........ISSO NUM É POSSÍVEL!? Ç^Ç Nossa, gézuis agora senti a velocidade do tempo!

      P.s: Okks, as aulas estão voltando, mas eu tô perdida numa coisa.....Tu ainda tá no ensino médio!? Até hoje eu não sei se tu já se formou no ensino médio ou se ainda tem mais um ano! '-'

      MUAHAHAHAHAHAHAHA RESENHA DE CODE GEASS! OMG VOU SURTAR MUITO <3

      Enfim, vou ficando por aqui

      Kiss

      Eliminar
    2. Posso ter voltado sambando no glamour, mas entretanto acumulei comentários para responder, uma desgraça e tanto >.<

      Ainda me espanto com a facilidade com que você compreende o que eu quero dizer e consegue completar as minhas ideias tão bem, convenhamos que entre tantas voltas que eu dou com as palavras, talvez nem seja sempre fácil captar o que eu estou a tentar transmitir. "em certos momentos o inteligente é se manter calmo e abaixar a cabeça, em outros ser enérgico seria o mais inteligente" » exatamente, é importante saber pesar as várias alternativas, daí eu concluir no final do texto que a inteligência depende imenso do poder de escolha.

      Esse terceiro parágrafo é algo em que costumo pensar muito, pois como você disse, embora seja admirável dar a vida por um sonho, pode não ser suficiente para o alcançar, e mesmo assim, ninguém garante que ele será preservado. Essa foi uma coisa que eu admirei imenso no segundo volume de Nascido das Brumas - o senhor soberano é derrotado logo no primeiro volume, e
      [SPOILER!!!!]


      .....................................................o Kelsier sacrifica-se por isso


      [FIM DO SPOILER!!!!], então cabe ao resto do bando tentar manter a paz alcançada durante os volumes seguintes, o que é ainda mais complicado que o objetivo do primeiro livro. Não ruiu tudo por pouco. Acho que o segundo volume retrata isso tão bem que é precisamente por isso que eu o adorei (e por uns capítulos bastante shoujo ;) ). Também é algo que admirei em Code Geass - na segunda temporada, em que as pessoas descobriram que Lelouch era Zero e o queriam matar, ele tinha-se praticamente rendido, mas após Rollo salvá-lo, ele apercebeu-se de que só poderia morrer depois de levar as coisas até ao fim, ou tudo teria sido em vão.

      "Pois, se essa pessoa não se esforçar na área em que é "naturalmente boa" acabará por "atrofiar" as suas habilidades." Precisamente o que eu acho! Duvido que as suas habilidades estejam assim "atrofiadas", e de qualquer forma agora você vai começar com os seus mangás, mas isso já comentei no seu blog. De qualquer forma, como você disse, talento não é tudo, e tanto pode haver quem desperdice as suas habilidades, como quem tenha interesse por desenvolver outras coisas, ou nenhuma... há de tudo. A habilidade depende principalmente do esforço. Aliás, essa sua amiga merece os meus parabéns, e já agora, português e matemática também são disciplinas obrigatórias em todas as áreas aqui em Portugal :)

      Sobre essa rapariga que percebeu que estar em arquitetura e fazer coisas tão fáceis era um desperdício, é bem isso que sinto! Foi bem inteligente, e vou acatar a dica de mandar as outras pessoas à merda quando me voltarem a perguntar isso >.< Bem, não, talvez não seja rude a esse ponto. Oh, mas no caso do seu pai, em que ele realmente quer continuar a dedicar-se àquilo que ama, sendo fácil para ele apesar de tudo, também não vejo problema nenhum. Só acho importante uma pessoa não escolher algo que arruíne completamente a sua vida. Além disso, seguir esse tipo de sonhos também e importante, eu quero aprender animação ou a fazer jogos quando der conta de alguns dos projetos que tenho. "desenhar como hobbie" <===THIS SUPREMO! Fazer do desenho a minha profissão não me ocorre de maneira nenhuma. Aliás, só de pensar que teria prazos para acabar os desenhos, que poderia ter de desenhar coisas de que não gostava, que as pessoas não pagariam o seu devido valor (vender desenhos? ou ninguém compra, ou se vende a um preço baixo, que não compensa de maneira nenhuma o trabalho que deu) é bastante desagradável.

      Eliminar
    3. Haha, você e a Nanda não se dão mesmo bem >.< Mas se quer saber, eu acho que vocês até têm algumas coisas em comum, nem que seja o gosto por animes. Eu e a minha irmã também temos as nossas diferenças, o que às vezes é um tantinho problemático ou agonizante, mas ainda assim na maior parte do tempo sempre foi algo que apreciei, acho que se pode dizer que isso nos faz crescer. Aprender a conviver com as diferenças, na verdade, tem até o seu quê de divertido - eu pessoalmente vejo alguma piada em discutir por coisas estúpidas, termino quase todas as discussões a rir-me da cara de zangada ou das barbaridades que eu e a minha irmã dizemos e fazemos. E é bom para vermos pontos de vista diferentes, ou tirar uma pausa das coisas que normalmente gostamos ou nos habituamos a fazer. "não precisa aceitar de braços abertos, mas qual o problema em dar uma chance ou em pelo menos não responder de forma agressiva!?" - É absolutamente isso! "também não precisa acabar com a guerra no mundo, não precisa virar o presidente para isso. Mas, pequenas ações também podem ajudar imensamente!" - E isso também! OBRIGADO, OBRIGADO, OBRIGADO por entender na perfeição tudo o que eu quero dizer.

      Já soube do seu episódio de ter ficado doente. Aliás, esqueci-me de comentar no seu post, mas sabe que começou a escrever o último post precisamente no dia do aniversário de Shion?

      Ainda tenho mais um ano de "ensino médio", pressupondo que isso equivale ao que aqui se chama de ensino secundário (detalhes: http://4ever-sapo.blogspot.pt/2014/03/ano-letivo-em-portugal.html), porque só este ano farei 18, e depois irei para a faculdade. Além de que aqui o ano letivo começa em Setembro. E realmente, coo é possível as minhas aulas começarem ESTA QUARTA-FEIRA?!

      Eliminar
  2. Como e estudei sobre inteligência, eu não concordo muito com algumas coisas que você selecionou aqui, porque pra mim elas têm outros nomes. Não acho que uma pessoa seja menos inteligente se ela não se adapta a uma situação ou se ela prefere "fugir da cidade" pra não lidar com determinadas coisas. Mas acho que você falou de coisas que são importantes no mundo contemporâneo, de coisas que a gente acaba precisando pra viver. Adaptar-se às situações que aparecem, capacidade de resolver problemas, criatividade, hoje são coisas essenciais - e os 'mestres' deveriam estar focando mais em trainar tais habilidades do que em fazer alunos decorarem os nomes de todos os reis da Inglaterra ou sei lá D: Mas de tudo o que eu li, estudei e aprendi, acho que são habilidades bem diferentes da inteligência - que também não está relacionada a QI, mas bom, a psicometria só fez besteira, historicamente falando, então eu não espero nada de bom vindo dela mesmo -- mas enfim.

    Acho um tema interessante de ser debatido <3 e sobre ir pra artes ou ciência, acho que pouco importa sua habilidade, ou se você aprende sozinha ou não, e sim o que você quer fazer. Independente de ser algo relacionado a mercado de trabalho ou só a gosto, é uma escolha sua, oras. Eu mesma ouvi muita conversinha chata dessa quando prestei psicologia e não webdesign, mas sabe de uma coisa? Eu sou muito melhor psicóloga do que webdesigner XDDDD Pra mim é mais uma questão de o quanto você quer fazer isso e o quanto isso te ajuda a se dedicar a tal coisa, do que uma questão de "ser bom ou não". Se aprendemos artes ou webdesign, podemos também aprender psicologia ou ciências, não?

    Enfim, sempre reflexiva, Any o/
    beijinhos :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, eu entendo perfeitamente que o termo "inteligência" talvez não seja o mais adequado, pelo menos em termos técnicos, para definir tudo o que eu descrevi. Penso de de certa forma seria mais correto dizer que o post é sobre "a atitude mais inteligente a tomar pelo bem do mundo". Então claro, devo concordar que são coisas diferentes de inteligência, mas lá está, acho que são essenciais e gostava até que mais pessoas debatessem sobre o assunto.

      "quando prestei psicologia e não webdesign" - exatamente. As pessoas parecem ter dificuldade em acreditar que as decisões dos outros podem estar certas independentemente da sua opinião. Você pode amar webdesigner, mas se calhar seria um "desperdício" ir para lá, mais ainda confiando que é mesmo melhor psicóloga. E lá está, habilidade pode ser nata, mas também pode ser adquirida com alguma dedicação.

      Sankyu :3

      Eliminar
  3. Com ojá estava com saudades de visitá-la! Aqui estou eu. :)

    Preciso dizer inicialmente que sou grata por tamanha reflexão. Penso em grande parte da mesma forma e a visão de arte tanto de Portugal quanto do Brasil é praticamente a mesma. Tanto que deixei como segundo plano qualquer coisa ligada a arte e foquei em Comunicação Social ( uma área híbrida entre exatas e humanas. ) mais precisamente Publicidade. Foi o plano B que eu tinha, pois o meu sonho e o meu maior interesse era Ciências Arqueológicas. Aqui no Brasil, infelizmente as pessoas graças parte ao governo, parte a população, desdenham qualquer coisa que norteia a estudos e cultura mais embassados, mais profundos. Ficam na superficialidade, na completa ignorância, reclamando da vida, invejando quem foge desta caixinha e apontando dedos, debochando e rindo ridículamente. Por conta disso, aqui a área da Ciência não tem investimentos, a maioria da nossos pesquisadores vão para outros países porque até mesmo incentivos de grandes empresas como a NASA, são barrados em território brasileiro. Arqueologia não é diferente.

    Aqui não temos a cultura da memória, da preservação, dos valores históricos, da descoberta, dos apoios entre áreas de estudo (Já que Arqueologia anda de mãos dadas com Biologia e Ciência). Milhares e milhares de acervos de documentos, artefatos arqueológicos, livros históricos, pesquisas dos primeiros cientistas do brasil estão abandonados, mofando, sendo comidos por traças. Pois bem, por isso almejo sair do país para estudar fora por conta disso. Cheguei a passar para Coimbra, só que as complicações e a burocracia absurda no Brasil me impediu.

    No caso, concordo plenamente que fugir não é a melhor solução. Eu mesma não estou fugindo. Encaro exaustivamente o medo de nunca mais voltar para casa, a falta de segurança, o perigo, os impostos absurdos pensando no melhor para mim e para o país. Realmente vida no campo é mil vezes melhor e seguro, mas é algo a se pensar apenas quando tiver a vida estabilizada o suficiente e se der por satisfeito dos seus feitos.

    Tem um livro, muito utilizado aqui escrito por um brasileiro chamado Marketing e Criatividade. Recomendo a leitura pois é excelente. Marketing é planejamento estratégico de qualquer coisa na face da terra - mas é rotulada como publicidade, porém é prima dela até certo ponto. O livro não foca em si a minha área mas trabalha falando sobre Inteligência, Inovação, Perspectivas, Estudos Neurais e uma penca de coisas interessantes que agregam valor ao nosso ser. Até mesmo trabalha em cima da heurística e da lógica. Vale a pena. Até penso em mencionar no Hey,Yuuko qualquer dia desses

    "Para mim, uma pessoa inteligente é aquela que se sabe adaptar a todas as situações. Que é capaz de mudar ligeiramente o seu próprio comportamento conforme as situações pedirem, mas sem deixar de ser ela própria. Que aceita as diferenças e arranja maneira de pólos opostos coexistirem. Que, após perceber onde residem as falhas do mundo, se embrenha ainda mais nelas para tentar consertá-las, em vez de se isolar. Que sabe esperar pela oportunidade de estender a sua mão e ajudar, em vez de simplesmente ir de cabeça e fazer um esforço inútil. Que prefere solucionar as coisas a problematizá-las."
    Esse texto, esse trecho. Ele me tocou de verdade,pois é parecido com a forma que penso. E vamos seguindo adiante, lutando pelos nossos sonhos, com um pé na realidade. Somos fortes o suficiente para isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ufa, finalmente consegui responder ao seu comentário! >.< A propósito, eu também tenho mesmo de visitar o seu blog, acho que estou a ser um nadinha negligente com essas coisas. Eu que agradeço por você ter apreciado a reflexão, e parece que Portugal e Brasil têm algo em comum além de língua. Sei bem como é esse problema da superficialidade, ou isso de apontar dedos mas não resolver as coisas. Aqui, quem quer ter futuro também tem de ser contratado por empresas estrangeiras. Não fazia ideia de que você estudasse arqueologia, é uma pena ser algo tão pouco preservado ou valorizado aí, suponho que cá também seja.

      "Encaro exaustivamente o medo de nunca mais voltar para casa, a falta de segurança, o perigo, os impostos absurdos pensando no melhor para mim e para o país. Realmente vida no campo é mil vezes melhor e seguro, mas é algo a se pensar apenas quando tiver a vida estabilizada o suficiente e se der por satisfeito dos seus feitos. " Tão isso!

      Nunca tinha ouvido falar desse livro e realmente interessou-me, aliás, adoraria que falasse dele no seu blog para eu saber mais. Imagino até que as estratégias dele se possam aplicar além do próprio marketing.

      Fico mesmo feliz por termos uma maneira de pensar comum. Eu admiro imenso pessoas lutadoras, mas não insensatas, valorizo quem faz tudo o que citei nesse trecho. Na verdade, ele veio-me à cabeça de repente e foi o que me motivou a escrever todo o post. Eu acredito muito na força das pessoas, e é bom saber que não sou a única. E se você está a lutar desse lado, já somos alguma coisa :)

      Eliminar
  4. Oi Any-Chan o/
    Amo, primeiro de tudo, O C.T NÃO ESTÁ DE HIATUS!!! Eu apenas mudei o link dele uhaduhashus'
    link novo: r-ealize.blogspot.com
    Agora, lendo tudo isso (quase morri porque sou uma cria preguiçosa deeemais):
    Acho que ser inteligente é conseguir perceber os sentimentos dos outros, sem feri-los, estar sempre procurando ajudar... eu não sei muito bem o que dizer exatamente sobre ser inteligente, sabe? Eu acho que eu própria não sou inteligente asuhsauhashysahyu'
    Mas na minha opinião, as escolhas das pessoas as fazem inteligente, e como dizem muitas pessoas divas dos animes "usar óculos não te faz inteligente" sahusauhsauhsauhshuashau'
    Acho que ser inteligente é compreender a todos, ajudar sempre, etc.
    Eu não sei mais o que escrever, desculpe :c
    Kissesss <3
    http://r-ealize.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, amor desculpe o incômodo do começo do coment >-< agora eu vi que o realize tava lá sauhahussauh'
      O Reinbo Yunikon (meu blog pessoal antigo) voltou, quer dar uma olhada? http://r-einboyunikon.blogspot.com.br/
      Smacks bugados *3*

      Eliminar
    2. Ah, sem problema :) Realmente estou a precisar de ir ter ao seu blog, tenho tido alguma dificuldade em comentar noutros blogs, muitos projetos para terminar antes de as minhas férias acabarem (quarta-feira Sim, ESTA).

      "conseguir perceber os sentimentos dos outros, sem feri-los" » Bem pensado, seria uma boa coisa a acrescentar ao post, pelo menos também é algo bem importante! Poder de compreensão, aí está. Haha, realmente, usar óculos não faz ninguém mais intelectual >.<

      Eliminar

♡ Saiba mais sobre o mim ou sobre o blog através do menu

♡ Quanto a comentários:
» Os pedidos são aceites nos comentários ou na ask (vejam o menu)
» Críticas construtivas são bem vindas. Barracos, não.
» “Seguindo, segue de volta?”, só serão aceites em blogs principiantes – e eu irei confirmar ao blog. Caso contrário será ignorado.
» Deixe o link do seu blog no fim do comentário e eu faço questão de pelo menos visitar e comentar.
» Pode usar estas carinhas:
=((•̪●))= ๑(•ิ.•ั)๑ ٩(●̮̮̃•̃)۶ ε(●̮̮̃•̃)з ٩(×̯×)۶̿ ┌∩┐(◣_◢)┌∩┐ ⊙▂⊙ ⊙0⊙ ⊙︿⊙ ⊙ω⊙ ⊙▽⊙ ⊙﹏⊙ ⊙△⊙ ◑▽◐ ◑ω◐ ◑﹏◐ ●︿● ●ω● ●﹏● ≧▂≦ ≧︿≦ ≧ω≦ ≧﹏≦ ≧▽≦ >︿< >ω< >﹏< >▽< ≡(▔﹏▔)≡ (¯▽¯;) <(“”"O”"”)> (-__-)b (;°○° ) \( ̄︶ ̄)> <( ̄︶ ̄)/ (/≧▽≦/) \(≧3≦)/ \(≧ω≦)/ o(≧ω≦)o o(≧o≦)o ㄟ(≧◇≦)ㄏ ╮(╯▽╰)╭ ╮( ̄▽ ̄)╭ (~o ̄▽ ̄)~o ~ 。。。(~ ̄▽ ̄)~[] (╯-╰)/ (*^3^) 'U_U ♪ ♥ ஐ ▲☼゚ ♣ (๏̯͡๏) †