outubro 08, 2014

[Review] Ao Haru Ride


Tadaima :) Genki desu ka?

Esta manhã estive a morrer de dores de barriga, e nem sei porquê. Mas quando estava na última aula, de repente passaram. Algo como fuck de logic. E não, não era por fome, até porque eu não comi nada depois de ter dores de barriga. Ah, sim! Sobre o post, hoje estou a postar a prometida resenha. Barakamon ficará para o fim de semana, e depois só quero resenhar haikyuu e kuroshitsuji. Falta pouco para terminar :) Hoje trago Ao haru ride, um shoujo com todos os seus sentimentos, clichés, encantos, pares românticos, uniformes escolares e um nome bastante poético, do qual não tinha as maiores expectativas no começo, mas foi bom enquanto durou, e não me arrependo nada de ter visto.

História:
Ao Haru Ride conta a história de Oshioka Futaba, uma adolescente que, em pequena, estava apaixonada por Tanaka. O amor era correspondido, mas nenhum deles sabia, e graças a um mal entendido, os seus destinos acabam por se separar. Quando, 3 anos mais tarde, voltam a encontrar-se, ambos estão demasiado diferentes daquilo que eram no passado. Tanaka, agora sob o nome de Kou, tornou-se reservado e sarcástico. Futaba, que foi isolada e alvo de ciúmes em pequena por ser demasiado fofa, tornou-se glutona e desorganizada. Até que ponto as novas amizades da Futaba são verdadeiras? E o romance entre ela e Kou, terá chance agora para dar certo?

Opinião:
Kou
Antes de tudo, o quê que os japoneses têm na cabeça? Como é que alguém pode isolar uma pessoa por ser fofa? É verdade que existem pessoas egoístas por aí, mas daí à Futaba ficar tão isolada, é um belo exagero. Na verdade, até seria motivo para ela se tornar popular, pelo menos por aqui. Mas enfim, é normal os shoujos não terem um grande pontapé inicial. E, seja como for, a falta de amizades dela não é um ponto chave da história, é apenas um assunto aceitável para começar. E funcionou bem. Porquê? Porque fez a Futaba evoluir imenso logo nos dois primeiros episódios. Não vou dizer que atitudes ela toma quando descobre que as amigas dela são um bocado falsas, nem o quê que a faz descobrir, mas é óbvio que ela fará novos amigos no futuro, afinal, são os protagonistas da história. Ah, mas aqui uma pequena nota: ao contrário de muitos espectadores, que dizem o quanto a decisão da protagonista de se tornar glutona, desorganizada, e supostamente "menos fofa" (não sei como é que isso é possível, ou a aparência é fofa ou não é, e com os uniformes japoneses não se pode variar muito) foi estúpida e muito falsa, eu não a desprezo assim tanto. Era uma adolescente isolada. Em vez de começar a deprimir, se tornar anti-social e chorar pelos cantos, ao menos arranjou uma solução, e até estava a resultar. Ela não foi infeliz, nem com aquelas falsas amigas. Não foi a sua melhor escolha, mas pelo menos agiu. É algo que falta a muitas personagem, essa capacidade de decisão, e mesmo no resto do anime se nota que ela sabe que é dona da própria vida, que se não for ela a controlar o rumo dos acontecimentos, ninguém o fará.


Os amigos dela são autênticos estereótipos - mais uma vez, como nos shoujos - mas que, por vezes, saem do figurino: Temos um professor bondoso, que é irmão do Kou, e tem a sua dose de problemas a ultrapassar (embora não me pareça que esteja a fazer muito por isso); um rapaz alegre, que fala a cantarolar, diz piadas, é um belo idiota, mas que consegue ser bastante sério, principalmente se o assunto for rivalidades ou insultarem os seus amigos; uma rapariguinha terrivelmente fofa, rodeada de rosa por todos os lados, pequenina, mas que é realmente gentil, não é apenas uma fachada, e não é tão tímida quanto se espera; uma garota com um ar inteligente e sério, quase anti-social, mas que por vezes confia nas suas novas amizades; um rapaz que ainda mal apareceu no anime - apenas apareceu relacionado a acidentes e ficou a julgar que a Futaba era tarada - mas aparece no mangá, e me faz acreditar que ainda virá uma segunda temporada; e claro, o Kou e a Futaba, sendo que eu já falei da nova personalidade deles. Mesmo os relacionamentos são típicos: uma garota que gosta do professor, duas amigas a gostarem do mesmo rapaz, um rapaz apaixonado pela sua amiga... Mas, sinceramente? Adorei como esses relacionamentos se desenvolveram. Quer dizer, não houveram grandes progressos, mas pelo menos não os aproveitaram para dramatizar demasiado ou criar barreiras, pelo contrário, cada dilema fortalecia o laço entre as personagens. Aliás, muita gente não gosta dessa coisa de duas amigas apaixonadas pela mesma pessoa, principalmente quando uma delas se apaixona de repente e vai logo contar toda entusiasmada, porque parece muito superficial, mas embora eu concorde que seja um romance bastante infrutífero que só está ali para enervar um bocado, a verdade é que coisas assim acontecem, e nem toda a gente precisa de acontecimentos marcantes para se apaixonar.



Não me posso esquecer do casal principal, não é? Logo no primeiro episódio, quando após os 3 anos, o Kou e a Futaba se reencontram, esclarecem logo que no passado estavam apaixonados um pelo outro, e tudo não passou de um (óbvio) mal entendido. Mas é a reação deles a essa confidência que nos deixa pela primeira vez com o coração nas mãos: a protagonista acreditou logo que eles ainda poderiam dar certo. O kou diz qualquer coisa sobre "bem, não é como se pudéssemos voltar atrás no tempo". Isso deixa bem óbvio que, naquele espaço de tempo, ele passou alguma coisa bastante traumatizante, reforçada pela sua postura sarcástica e reservada. Não que ele não saiba ser social quando quer - dá-se bem com quase toda a gente, e sabe ser sensível, mas não perde tempo a esconder as verdades, por mais duras que sejam. É isso que lhe dá um ar simultaneamente rude e de príncipe abandonado. Sim, eu gosto disso. E, a partir de certo ponto, o foco do anime é sobre os problemas familiares do Kou e em como só a nossa decidida, engraçada mas teimosa garota se decide intrometer na vida dele e revirá-la como se fosse uma tempestade. Mas isso foi muito bem feito, principalmente o desfecho. Adorei a cena da "permissão". Haha, não posso contar mais nada, assistam para entender >.< 


Falando de elementos do enredo, os principais são o romance, o drama e a amizade, com alguma comédia à mistura. Provavelmente é graças à proporção que cada um desses ingredientes ocupa que Ao Haru Ride é considerado o Kimi ni todoke de 2014 e Ookami shoujo to kuro-ouji, desta nova temporada, promete ser o Kaichou wa maid sama. Oh, pois é, ainda não o resenhei! Bem, mas fica para outra altura. Pessoalmente, eu até gosto de histórias dramáticas, mas só se não tiverem protagonistas demasiado parados. E é precisamente por a Futaba ser tão "energética" que eu gostei mais de Aoharaido (como é chamado pelos fãs) do que de Kimi ni Todoke. Embora ainda adore shoujos de comédia, principalmente se os vir com a minha irmã ^^


Agora vamos aos defeitos. 1) Clichés. É verdade que um shoujo sem clichés não é um shoujo, e que uma história de amor colegial não tem muito como fugir das temáticas, mas Ao Haru Ride ainda podia sair mais da vulgaridade. Mas tudo bem, isso não é completamente um ponto fraco. 2) Temas deixados pela metade. Essa foi a grande falha, referirem coisas como "professor que diz que não pode namorar com a aluna, aparentemente nem gosta dela, mas acaba por não a libertar totalmente", ou "os amigos falsos e saídas tardias do Kou", deixando bem claro que o rapaz não segue os conselhos que dá às outras pessoas. Na verdade, o único tema mais intenso que foi desenvolvido - e até bastante bem - foi mesmo o drama familiar. Todos os restantes não passam de indícios, que só devem estar ali para causar polémica. Porquê? Talvez achem que uma história fofa não deve apresentar temáticas pesadas. Mas para isso, bastava não as referir. Ou talvez achem que, se não abordassem minimamente esses temas, os espectadores perderiam o interesse. Contudo, se foi essa a linha de pensamentos, não custava nada desenvolver. O que eu acredito é que aderiram à moda do "Falem bem ou falem mal, o que importa é que falem de mim". Eu nem me sinto muito afetada com essas referências, só acho que deveriam significar algo, em vez de serem tratadas como elementos soltos.


Finalmente vamos à parte técnica: Algumas pessoas dizem que a animação foi vulgar, e talvez não tenha sido excepcional, mas mesmo assim eu considero-a acima da média. A combinação de cores não é enjoativa, e olhem que eu sou bastante sensível às cores. O ritmo, por vezes, era um bocadinho enrolado, mas isso também é normal em shoujos, mas os dois primeiros episódios e o último não perderam tempo com mesquinhices. A trilha sonora era lindíssima, estou viciada na música "I will", que por acaso caracteriza muito bem o pensamento das personagens. Opening? Tão porpurinada e engraçadinha, mas que não deixa nada por apresentar, e a melodia não chega a ser irritante nem tão repetitiva como noutros animes, embora também não saia muito do mesmo. Dou um destaque especial para o uso magnífico que fizeram do efeito de aguarela, sempre que nos mostram alguma memória do passado, de um bom gosto magnífico. E depois, embora isto não seja referente apenas ao anime, produzido pelo estúdio Production I.G, mas também ao mangá, eu adorei o título. Ao haru ride significa primavera azul, se não me engano, o que para mim caracteriza na perfeição todos os sentimentos e acontecimentos variados do enredo. 

Voilá :) Quem assistiu? Com quê que concordam ou discordam?


10 comentários:

  1. Oi, primeira vez no blog (rsrs). Lindo o layout, sobre o post, adorei a forma que escreveu, sabe texto grande me dar uma preguiça de ler, menos de escrever, mas o seu me prendeu, parabéns. (Li tudinho u.u). Ao Haru Ride foi motivo de vários surtos meu do ano e obvio que recomento.

    Adorei o blog, já estou seguindo, viu? Sabe o que isso significa? Irei ter perturbar por muuito tempo. (rsrs)

    Kissus e até logo.

    http://reinodosbrigadeirosoficial.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sua perturbação será muito bem vinda >.< Espero continuar a escrever textos assim envolventes, vou já avisando que serão sempre longos, mas com leitores assim vale a pena. Obrigada por seguir :3

      Eliminar
  2. Olá ^w^
    Este é o meu primeiro comentário aqui no blog :3
    Bem, eu leio o manga de Ao Haru Ride e bem, tenho as minhas quantas queixas.
    Mas não queixas em termos de história e partes técnicas, como é que hei de explicar? Acho que é mesmo queixa enquanto que fã do manga. O desenho é lindo, a meu ver melhor que o do anime, e a primeira parte da história, a que é desenvolvida do anime é ótima, excelente mesmo.
    Ah... quanto aos temas deixados pela metade, sinceramente não acho que haja, basta ler o manga. Também ainda não terminou (chega capitulo 45, pleeeease xc) e acho que explica bem as coisas.
    Não obstante, como fã de Koutaba não gostei muito do rumo que seguiu, mas enfim. Teria de acontecer (não me vou alongar no tema porque o anime deve ter continuação e como tal tudo se percebe).
    Que mais posso dizer? Em termos de temas de história a da família do Kou é a melhor, na minha opinião, e gosto muito da relação da Murao com o Tanaka-sensei, que depois se desenvolve também, acho-a realmente muito fofa.
    E bem, gostei da resenha ^w^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda ^^ Obrigada por comentar, fico contente por ter gostado da resenha. Bem, eu não li o mangá (ainda), então não sabia que esses temas eram mais desenvolvidos lá, mas de qualquer modo esta resenha é só da adaptação para anime, e lá não houve algum motivo real para abordar todos aqueles assuntos inacabados. Com excepção do drama familiar, que foi muito bem feito. Haha, a tortura de esperar pelos novos capítulos é algo que entendo bem >.< Não sei o quê que a autora fez, mas provavelmente foi daquelas coisas inevitáveis em todas as histórias. Na verdade, talvez até consiga adivinhar o quê que está a acontecer. E concordo que arte do mangá é melhor. A Murao-san é adorável :3

      Jaa!

      Eliminar
  3. Anilyan-chan! O teu lay esta tao lindo waaa ;A;
    Olha aqui o tuto: http://www.bunnycrazy.net/2013/10/efeito-fantasminhas-caindo-no-blog.html#more
    Espero que seja util :3

    Waaa nem vou ler pra nao apanhar spoiller ahaha estou para ver este anime, agora que acabei Toradora xD

    Kissu~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, arigatou pelo tutorial :3 Guardei-o no meu blog de tutos, com créditos, claro. Ainda bem que gostou de ler, e é capaz de ter razão, eu tento não dar spoilers a não ser do começo do anime, mas a verdade é que se calhar insinuo muitas das coisas que vão acontecer. Toradora é um ótimo shoujo ^^

      Eliminar
  4. Eu gostei bastante de Aoharaido ♥ É clichê e estereotipado, mas acho que foi justamente isso que me fez ficar tão envolvida com o anime. Os personagens são muito interessantes, e todos os dilemas que eles passam foram bem colocados, não apenas superficiais ou exagerados. Eu não gosto das protagonistas da maioria dos shoujos, mas a Futaba me conquistou, achei ela uma personagem incrível. Eu gostei muito da história do Kou, como os relacionamentos entre os personagens se desenvolveram e a trilha sonora entrou nas minhas favoritas.
    Há realmente alguns assuntos deixados pela metade, mas acho que é porque o anime acabou num ponto crucial do mangá. Eu estou lendo o mangá agora pra saber o que acontece de uma vez :3
    Ah, review de Haikyuu?! Quero ver logo ♥ Como fã do mangá, eu amei o anime~ mas vou deixar isso para o comentário do review :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a verdade é que todos os clichés têm os seus encantos. Exato, eu gostei muito das personagens e de alguns dos dilemas, tal como a animação e trilha sonora. Só achei esses aspetos deixados pela metade um bocado incómodos, mas agora que fala nisso, provavelmente são mais explorados no mangá. Eu ainda não comecei a ler. Oh, bem, a review está um bocadinho atrasada :/ Mas vou postar o mais cedo que conseguir :)

      Eliminar
  5. E eu já comecei a ler o mangá, sério eu gostei bastante do anime e ate então não conhecia o titulo... E eu estou gostando bastante do mangá também, mas no inicio eu achei o Kou tão estupido, tive paciência e vi que ele só não consegue lidar com a culpa que ele acha que tem, mas a Futaba está conseguindo derrubar essa porta e chegar ate ele. O anime foi excelente.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já conheço o título há algum tempo, mas ainda não comecei a ler o mangá, ficarei pelo anime mesmo. Eu não achei o Kou estúpido, talvez por vezes fosse rude, mas quando queria ser gentil e ter paciência com a Futaba, ele conseguia. A futaba é bastante determinada, gosto muito disso nela, e adoro as metáforas do anime. Jaa!

      Eliminar

♡ Saiba mais sobre o mim ou sobre o blog através do menu

♡ Quanto a comentários:
» Os pedidos são aceites nos comentários ou na ask (vejam o menu)
» Críticas construtivas são bem vindas. Barracos, não.
» “Seguindo, segue de volta?”, só serão aceites em blogs principiantes – e eu irei confirmar ao blog. Caso contrário será ignorado.
» Deixe o link do seu blog no fim do comentário e eu faço questão de pelo menos visitar e comentar.
» Pode usar estas carinhas:
=((•̪●))= ๑(•ิ.•ั)๑ ٩(●̮̮̃•̃)۶ ε(●̮̮̃•̃)з ٩(×̯×)۶̿ ┌∩┐(◣_◢)┌∩┐ ⊙▂⊙ ⊙0⊙ ⊙︿⊙ ⊙ω⊙ ⊙▽⊙ ⊙﹏⊙ ⊙△⊙ ◑▽◐ ◑ω◐ ◑﹏◐ ●︿● ●ω● ●﹏● ≧▂≦ ≧︿≦ ≧ω≦ ≧﹏≦ ≧▽≦ >︿< >ω< >﹏< >▽< ≡(▔﹏▔)≡ (¯▽¯;) <(“”"O”"”)> (-__-)b (;°○° ) \( ̄︶ ̄)> <( ̄︶ ̄)/ (/≧▽≦/) \(≧3≦)/ \(≧ω≦)/ o(≧ω≦)o o(≧o≦)o ㄟ(≧◇≦)ㄏ ╮(╯▽╰)╭ ╮( ̄▽ ̄)╭ (~o ̄▽ ̄)~o ~ 。。。(~ ̄▽ ̄)~[] (╯-╰)/ (*^3^) 'U_U ♪ ♥ ஐ ▲☼゚ ♣ (๏̯͡๏) †