fevereiro 06, 2014

Sakamichi no Apollon


Okaeri :)

O anime que venho resenhar hoje foi um  anime de que só ouvi falar uma vez, e só após terminar descobri o significado do título: crianças na encosta. Algo no cometário que li sobre o anime me fez querer vê-lo imediatamente - assim, do nada, passando à frente de todos os outros animes que eu considerava primordiais de ver. Vi 6 episódios num dia e 6 no dia seguinte, terminando-o o mais rapidamente que consegui, e não me arrependo nadinha da minha decisão precipitada. Porquê? Bem, porque conquistou o lugar de "anime favorito". Não consigo dizer porque superou todos os outros, mas tentarei explicar neste post o quanto essa história do género Slice of life foi bela...



A história começa com o protagonista, Kaoru Nishimi, um rapaz rico de uma família que pouco lhe liga e é um excelente aluno. Por outro lado, ele é muito nervoso, o que sempre o fez mudar de escola e não arranjar grandes amigos - acabando numa escola no Japão, que o fazem conhecer uma garota super querida, Ritsuko, e um garoto forte, valentão, engraçado mas gentil, Sentaro. O que os unirá além de uma forte amizade será o jazz, fazendo-os embrenhar-se em brigas, sessões musicais e grandes emoções. 

~espécia de sinopse, tosca porque fui eu que fiz~

Não posso contar muito sem spoilers. Mas eu adorei... bom, é melhor ordenar isto:


  • A arte e a música:
Logo no começo, eu estranhei um pouco os traços, as sombras e os olhos das personagens, mas a verdade é que esse carácter design se adequa na perfeição, e foi muito mais impecável do que imaginava possível. É fofo, maduro e simplista ao mesmo tempo. Amei as cores escolhidas, como foram aplicadas, os brilhos...  Os próprios detalhes focados. Toda a animação é encantadora - como conseguiram captar os movimentos de um músico tão bem?! Mas como o anime trata de jazz, não poderia deixar de falar da trilha sonora: conta com algumas músicas mais ou menos conhecidas, mas sem dúvida é linda. Eu nunca fui a maior fã de jazz, e oiço sempre animes com o volume no mínimo, mas este animes convenceu-me de que é magnifico e cheio de emoção, mais até que o rock ou outros géneros. Introduz as melodias de forma tão natural - como fundo de uma cena, numa música tocada pelos protagonistas, ou até na opening cheia de texturas e efeitos - que me fez ter vontade de ouvir mais. Falando em opening, pelo que descobri da letra, é muito pertinente ao enredo em si, cheia de altos e baixos e que nos faz mergulhar de cabeças pela "encosta" a baixo.



  • Personagens e relacionamentos:
Deve ter sido algo que amei. Todas são importantes e incríveis! São tremendamente humanos, sofrendo por amor, lutando pelo que querem, ficando com vergonha mas tentando parecer confiantes, por vezes indecisos, com os seus próprios e variados problemas, mas sempre dispostos a sorrir, a perdoar sem fazer demasiado drama e brincarem uns com os outros. E todos têm algo que admirei - O Nishimi, apelidado de Riquinho, apesar de nunca ter feito grandes amigos antes, não fica espantado com tudo o que lhe acontece, e é bem realista - e direto! (Sawako, aprende com ele » indireta para Kimi ni Todoke); O Sentaro já teve vários problemas, e embora se envolva nas suas próprias brigas, é um tipo super animado e excelente amigo; A Ritsuko é uma garota atenciosa e, mesmo que como todas as garotas sofra por vezes de amor ou ciúmes, têm uma personalidade forte em certos momentos, embora noutros pareça um bocado apagada; E depois há outros: Jun, Yurika... todos determinados e com uma vida além do enredo, mas com relações admiráveis entre si. Foi isso o que mais amei na história, foram os laços. Eram tão fortes que, só de pensar que o anime poderia não terminar bem ou que se zangassem de vez, me sentia angustiada. Também fui incapaz de shipar um só casal, porque nesta história o mais importante não é o amor e quem fica com quem, mas a amizade entre O Riquinho e o Sen, tão espontânea que, se o anime fosse yaoi, também aprovaria. 



  • Enredo:
Está cheio de clichês. Não há um verdadeiro desenvolvimento, pelo contrário, parece que estagnou, com acontecimentos ocasionais suscitando um avanço lento - mesmo que na história se passem meses. Quando acontece algo, também não é nada demais. Há poucos episódios, que ocultam muito do que acontece no mangá. Sinceramente? Gostei assim. Pode ser só de mim, posso não estar a ser crítica suficiente, mas para mim, essa é a melhor história possível - tudo pára, para eternizar os vários momentos com as personagens. E sim, acontecem coisas, apenas quero dizer que não há um objetivo final nem nada - apenas se foca no desenvolvimento de cada um e entre cada. E no jazz. O anime trata dos anos 60, e eu achei isso bom, pois refere coisas como conflitos na política, casamentos arranjados, como as bandas treinavam em garagens ou, neste caso, porões. Terá, no máximo, 3 cenas de ação, e garanto que não é como num shonen, mas é muito mais natural, capaz de representar acontecimentos do nosso mundo, e não de um mundo de jovens guerreiros ou com poderes que lutam para salvar o mundo. Senti que a trama teve algo de irregular (não me peçam para explicar, mas parece ser pontilhada por momentos de tipos diferentes), mas para um Slice of Life, para mim está bom. Só ouvi dizer que o final deixa muita coisa em aberto em comparação com o mangá - eu não me importei muito na altura, mas se no mangá é melhor...



  • Sentimentos que suscita:
Nostalgia é o principal deles. Transmitida pelas músicas, pelos problemas, pela saudade entre as personagens, pelos momentos quase-finais, pelos conflitos internos no coração dos protagonistas, pela felicidade radiante que nos faz perguntar se não terminará em breve... Mas esse ambiente é lindo, e não parece nada repetitivo nem dramático, o problema de vários shoujos, na minha opinião. Há momentos em que, simplesmente, não está a acontecer nada. Há a personagem, e o cenário em volta. Por vezes, alguns sons. E nós sabemos exatamente o que se está a passar. O que a personagem está a passar. Esse desalento sem palavras foi o que mais me fascinou no anime - não é preciso aqueles protagonistas chatos nos mostrarem o que vai na própria cabeça. Nem repetir-se o tempo todo. Todos são fortes e sabem que a vida continua, e que ela é linda demais para desperdiçar com lamentações. E eu adorei especialmente as cenas em que os dois amigos faziam as pazes, não falando, mas tocando música com tanta intensidade quanto possível. Arrebatavam-me completamente >.<



Era isto. Não, o anime não é sobre jazz, embora este tenha algum lugar no enredo em si. O anime é um josei, uma história para mulheres mais adultas, e se calhar esse irá tornar-se dos meus géneros favoritos, porque, para mim, pancadaria a todo o momento e overdose de sentimentos são totalmente dispensáveis.

Pronto, vou ler o mangá ;)




2 comentários:

  1. Bom Any, não estou nem com metade do seu entusiasmo para ver o anime, devo admitir, (embora eu ache que seja pelo fato da história não ser Universo Alternativo .-.) mas com certeza vou parar pra ver o anime. É curtinho, só 12 episódios, certo?
    Me chamou atenção o fato de você ter dado tanta ênfase na amizade, os personagens são distintos entre si e eu estou curiosa para ver a forma como eles vão se entrelaçar!
    Assim que tiver meu tempinho, vou assistir ^^
    Até mais, Any-Chan

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, agora que já passou tanto tempo, eu própria creio que apenas vendo uma resenha não acharia assim tão interessante, mas a beleza e doçura da história é indescritível, o anime cativou-me mesmo, e muito mais do que eu esperaria - até porque, tal como você, eu prefiro ficção ou fantasia. Mas são só 12 eps, exatamente, portanto não custa muito a digerir. Mas assista só quando achar que deve, quando o anime não está a chamar por nós, por vezes acabamos por não nos ligar tanto a ele :3

      Eliminar

♡ Saiba mais sobre o mim ou sobre o blog através do menu

♡ Quanto a comentários:
» Os pedidos são aceites nos comentários ou na ask (vejam o menu)
» Críticas construtivas são bem vindas. Barracos, não.
» “Seguindo, segue de volta?”, só serão aceites em blogs principiantes – e eu irei confirmar ao blog. Caso contrário será ignorado.
» Deixe o link do seu blog no fim do comentário e eu faço questão de pelo menos visitar e comentar.
» Pode usar estas carinhas:
=((•̪●))= ๑(•ิ.•ั)๑ ٩(●̮̮̃•̃)۶ ε(●̮̮̃•̃)з ٩(×̯×)۶̿ ┌∩┐(◣_◢)┌∩┐ ⊙▂⊙ ⊙0⊙ ⊙︿⊙ ⊙ω⊙ ⊙▽⊙ ⊙﹏⊙ ⊙△⊙ ◑▽◐ ◑ω◐ ◑﹏◐ ●︿● ●ω● ●﹏● ≧▂≦ ≧︿≦ ≧ω≦ ≧﹏≦ ≧▽≦ >︿< >ω< >﹏< >▽< ≡(▔﹏▔)≡ (¯▽¯;) <(“”"O”"”)> (-__-)b (;°○° ) \( ̄︶ ̄)> <( ̄︶ ̄)/ (/≧▽≦/) \(≧3≦)/ \(≧ω≦)/ o(≧ω≦)o o(≧o≦)o ㄟ(≧◇≦)ㄏ ╮(╯▽╰)╭ ╮( ̄▽ ̄)╭ (~o ̄▽ ̄)~o ~ 。。。(~ ̄▽ ̄)~[] (╯-╰)/ (*^3^) 'U_U ♪ ♥ ஐ ▲☼゚ ♣ (๏̯͡๏) †